Reciclagem da casca do coco verde

O coco verde é um dos orgulhos da fruticultura nacional. São 2 bilhões de frutos produzidos por ano. E a água de coco – isotônico natural e repositório energético de excelente qualidade – seria a bebida perfeita, não fosse o grave problema ambiental causado pelo descarte inadequado da embalagem. São 240 mil toneladas de cascas de coco por ano, lançadas em aterros de lixo e principalmente em vazadouros clandestinos. Pra piorar a situação, a casca do coco leva muito tempo para se decompor na natureza: aproximadamente vinte anos. E o sistema de coleta é caro.

Mas, além da água e da poupa, a casca do coco também tem utilidade. É matéria-prima para aproximadamente 45 produtos. A partir do pó e da fribra da casca de coco, começa a ganhar escala no país a produção de xaxim, isolantes térmicos e acústicos, substrato para plantas, entre outros. O negócio gera emprego e renda, além de resolver o problema do descarte inadequado.

Muita gente já descobriu que a casca do coco não é problema, é solução.

Links:

– Conheça o projeto Coco Verde, a iniciativa de uma empresa do Rio de Janeiro que processa a fibra do coco e comercializa diversos produtos a partir deste material.

– Leia aqui a Resolução Conama 278/01, que proibiu a extração e a exploração comercial do xaxim, espécie ameaçada de extinção.

– No site da Embrapa Agroindústria Tropical, leia sobre a instalação da primeira unidade de beneficiamento da casca de coco verde do Nordeste, em Fortaleza.