Cedae não gastou ‘um centavo sequer’ com o sistema de tratamento do Guandu em 2019

André Trigueiro confirmou a informação com a própria companhia. Segundo ele, recursos para melhorias na distribuição de água e saneamento são do Fecam, o Fundo Estadual de Conservação Ambiental e Desenvolvimento Urbano, abastecido por royalties do petróleo. Segundo ele, dos R$ 708 milhões do fundo, apenas 15% chegaram a ser aplicados pelo governo do estado, mas nenhuma parte desse dinheiro foi investida em melhorias no setor.