Por Andre Dessandes | janeiro 30, 2017 5:07 pm

 

Por Vandré Fonseca

Fonte: O Eco

 

Mais de um terço de todos os ambientes naturais e semi-naturais do Velho Continente corre o risco de colapso, segundo a recém-publicada Lista Vermelha Europeia de Habitats. A iniciativa da Comissão Europeia avaliou um total de 490 ambientes em 35 países, com base em critérios da União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN, em inglês).

A publicação contou com a colaboração de mais de 300 pesquisadores e vai servir de base para análises futuras e contribuir para a elaboração da Lista Vermelha Global de Ecossistemas da IUCN, que está em fase de preparação. “Este esforço é uma importante contribuição tanto para avaliar e monitorar a conservação natural na Europa quanto para contribuir com os esforços globais de avaliação dos ecossistemas em risco”, afirma o diretor do Programa de Gerenciamento de Ecossistemas Globais da IUCN, Ed Barrow.

Segundo a publicação, enquanto mudanças no uso da terra, como a intensificação da agricultura, urbanização e desenvolvimento de infraestrutura reduzem a extensão das paisagens naturais; drenagens, poluição, plantas e animais invasores afetam a saúde dos ecossistemas.

As ameaças afetam também mais de três quartos dos pântanos, mais da metade dos campos naturais e dos lagos, rios e ambientes costeiros. Embora menos ameaçados, florestas, savanas e ambientes rochosos também causam preocupação.

 

Clima afeta o ambiente

O texto também cita as mudanças climáticas, que afetam tanto ecossistemas terrestres quanto aquáticos. Ambientes costeiros sofrem também com poluição, despejo de nutrientes e pesca predatória. Entre os ambientes marinhos, conforme a análise, cerca de um terço do Mar Mediterrâneo e boa parte do Atlântico Norte Oriental, que banha o continente, correm o risco de um colapso. E ainda faltam informações para avaliar outras regiões, como o Mar Negro.

Os autores destacam que os ecossistemas tem um grande valor intrínseco, mas são importantes também pelos serviços ambientais vitais que fornecem, como proteção do solo, captura de carbono, alimentos e mitigação do aquecimento global. A publicação é uma parceria entre Wageningen Environmental Research (Alterra), IUCN, Nature Bureau e os consultores Susan Gubbay and John Rodwell.

 

 

 

Postado por Daniela Kussama