Por Andre Dessandes | janeiro 9, 2017 1:37 pm

 

Fonte: Blog do Planeta – Época

 

O gráfico mostra as médias mensais de temperatura dos últimos anos (Foto: Andy Skuce)

 

 

Um belo gráfico feito pelo geofísico Andy Skuce mostra de forma simples como o ano de 2016 foi anormal. Ele compara os recordes mensais dos últimos anos. A linha laranja mostra o desempenho de 2016. Os meses de janeiro, fevereiro, março, abril, maio, julho e agosto foram os mais quentes já registrados. Junho e setembro empataram na liderança. Só os meses de outubro, novembro e dezembro não foram os mais quentes já medidos. Mesmo assim, ficaram em segundo, atrás apenas de 2015.

É uma outra forma dramática de enxergar a aceleração do aquecimento global que estamos vivendo.

Os anos de 2014 e 2015 bateram recordes sucessivos de calor. Todas as estimativas apontam que 2016 vá bater de novo o recorde anual. Os anúncios oficiais da Nasa e da NOAA (agência de oceanos e atmosfera dos Estados Unidos) são esperados para o dia 18.

Para quem ficou curioso com os números do gráfico, a unidade de medida é quantos centésimos de grau cada mês se distanciou da média considerada normal (entre 1951 e 1980). Isso significa que o mês mais extraordinário já registrado pela ciência climática foi fevereiro de 2016, que ficou mais de 1,3 grau célsius acima da média.

 

 

 

Postado por Daniela Kussama