Por Andre Dessandes | novembro 16, 2016 10:42 am

 

O Governador de Nova Iorque lançou uma linha telefônica para combater crimes de ódio e racismo. Foi uma resposta à onda de agressões registradas em todo o país desde a eleição de Donald Trump. Não reproduzirei aqui o imenso repertório de novos casos policiais envolvendo brigas, xingamentos, bullying, pichações, manifestações racistas, sexistas e de intolerância religiosa. Não é difícil saber porque tudo isso está acontecendo.

O presidente eleito consumiu precioso tempo e energia nos últimos meses destilando ódio e preconceito, ofendendo, agredindo, humilhando e ameaçando. Trump usou seu carisma para ativar comandos mentais extremamente negativos e beligerantes. Excitou as massas para alcançar seu objetivo e agora se percebe refém das circunstâncias. A gravidade da situação o levou a endereçar no último domingo um pedido de paz a todos os americanos. Paz? Assim, de repente?

Quando uma barragem se rompe, o estrago é grande e a solução leva tempo. E a solução nesse caso passa por Donald Trump. Foi ele que esgarçou o tecido social americano. Deve partir dele (por palavras e atos) uma nova conduta em favor construção de uma cultura de paz. Saint-Exupéry imortalizou em uma frase uma verdade universal: “Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas”.

Se liga Trump! Os que te seguem não acreditam no teu pedido de paz. É preciso fazer muito mais.

 

André Trigueiro