Por Andre Dessandes | agosto 29, 2016 2:46 pm

 

Fonte: ONU

 

Enquanto líderes das maiores economias mundiais se preparam para participar da reunião do G20 em Hangzhou, na China, no início de setembro, 130 investidores com mais de 13 trilhões de dólares em ativos escreveram aos chefes de Estado pedindo que ratifiquem o Acordo de Paris para o clima ainda este ano.

Os investidores, parte de uma coalizão de seis organizações, também pediram que os países do G20 dobrem os investimentos globais em energia limpa, desenvolvam seus mercados de crédito de carbono e acabem com os subsídios aos combustíveis fósseis.

“O Acordo de Paris para o clima fornece um sinal claro a investidores de que a transição para uma economia de baixo carbono e energia limpa é inevitável e já está a caminho”, afirmou a carta dos investidores.

“Os governos têm a responsabilidade de trabalhar com o setor privado para garantir que essa transição ocorra rápido o suficiente para catalisar os significativos investimentos necessários para atingir os objetivos do Acordo de Paris”, disseram.

Entre as metas do acordo está manter o aumento da temperatura média global abaixo de 2°C acima dos níveis pré-industriais, e acelerar a redução das emissões de gases do efeito estufa.

As seis organizações que assinaram a carta são Coalizão Global de Investidores sobre Mudanças Climáticas (IIGCC, na sigla em inglês); Rede de Investidores Norte-Americanos para o Risco Climático (INCR);  Grupo de Investidores da Austrália e Nova Zelândia para as Mudanças Climáticas (IGCC), Grupo de Investidores Asiáticos para a Mudança Climática (AIGCC); CDP e PRI.

Para entrar em vigor, o Acordo de Paris precisa ser ratificado por pelo menos 55 países que respondem por aproximadamente 55% da emissões do planeta. Dos 195 países que participaram da Convenção do Clima da ONU, 22 já adotaram.

 

 

 

Postado por Daniela Kussama