Por Mundo Sustentável | agosto 15, 2016 5:13 pm

 

Fonte: BBC Brasil

 

Em um dos lugares mais poluídos da Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro, onde geladeiras, sofás e até cavalos são encontrados sob águas contaminadas por esgoto e produtos químicos, um antigo lixão deu lugar a um parque ecológico totalmente gerido por grupo de moradores.

Sem qualquer financiamento, eles tiram do próprio bolso o dinheiro para criar viveiros para crustáceos – 8 mil já foram devolvidos ao mangue local -, armadilhas para larvas do mosquito Aedes aegypti e canteiros de mudas regados por garrafas recicláveis acionadas por energia solar.

O projeto Caramangue foi criado há um ano e já dá frutos – além da vila dos pescadores da ilha do Fundão, onde tudo começou, os idealizadores já planejam espalhar o verde por outros cantos remotos da baía.

 

ASSISTA AO VÍDEO

 

 

 

 

 

Postado por Daniela Kussama