Por Mundo Sustentável | julho 27, 2016 6:13 pm

 

Os dados são do INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais): os 40.765 focos de queimadas detectados pelo Brasil do início do ano até ontem (26/7) configuram um recorde. É a maior taxa desde o início da série histórica em 1998. E nem chegamos ainda ao auge do período de seca.

Será coincidência que isso aconteça depois da aprovação do Código Florestal e, principalmente, da prorrogação do Cadastro Ambiental Rural (CAR) para todos os proprietários rurais? Todas essas medidas tiveram impacto direto sobre a proteção das áreas verdes, que produzem umidade e contribuem para a formação de chuvas.

O Ministro da Agricultura, Blairo Maggi, do Mato Grosso (um dos estados onde a ocorrência de queimadas é maior) permanece em silêncio. Mas o ar tornou-se simplesmente irrespirável em vários municípios do estado dele.

O Brasil não é apenas o país das Olimpíadas.
É hoje também o país das queimadas.

 

André Trigueiro