Por Mundo Sustentável | julho 10, 2016 3:52 am

 

eder2

Foto: Éderzito

 

 

Éderzito, da Guiné-Bissau (foto) fez o gol do título para Portugal nesta linda final miscigenada da Eurocopa. Além dele, outros jogadores vieram de ex-colônias. Danilo Pereira (Guiné-Bissau), William Carvalho (Angola), Nani (Cabo Verde) e Pepe (Brasil). Renato Sanches é filho de uma cabo-verdiana com um são-tomense. Eliseu (Açores) e Cristiano Ronaldo (Ilha da Madeira) completam a lista.

Do outro lado, o escrete francês que chegou à grande final teve 17 jogadores com ancestrais de fora do país ou negros. Pelos nomes, se percebe claramente isso: Lloris, Mandanda, Rami, Koscielny, Mangala, Umtiti, Evra, Sagna, Pogba, Matuidi, Schneiderlin, Kanté, Sissoko, Griezmann, Payet, Martial, Coma.

Xô xenofobia. O futebol é lindo porque é multicolorido. Vive la différence!

 

André Trigueiro