Por Mundo Sustentável | dezembro 7, 2015 3:17 pm

 

Fonte: IHU

 

O Papa Francisco recebeu, no dia 20 de novembro, no Vaticano, em uma audiência particular, o bispo de Reconquista e presidente da Comissão Episcopal de Pastoral Aborígene, dom Ángel José Macín, na qual conversaram sobre a realidade dos povos originários no país e a tarefa de acompanhamento destas comunidades que é realizada pela Equipe Nacional de Pastoral Aborígene (Endepa).

De retorno a Buenos Aires, e por ocasião da última reunião do ano dos delegados da Endepa, dom Macín compartilhou sua experiência sobre o conversado com o Pontífice e o estímulo que recebeu para continuar com esta missão que já existe há décadas no país, e que foi marcada pela presença de figuras que deram sua vida por esta causa.

No relato, o prelado comentou que após entregar ao Papa materiais que refletem o trabalho da Endepa e de outras organizações que desenvolvem suas atividades neste âmbito, algumas cartas e saudações de integrantes dos povos originários e de outros presentes, o Papa destacou que a Pastoral Aborígene na Argentina tem “uma trajetória que é preciso cuidar e fortalecer”.

Pontífice também afirmou que a Pastoral Aborígene “é um serviço que devemos a nossos irmãos, inspirados na figura do bom samaritano, e um ato de reparação histórica diante do extermínio e a interrupção destes povos. O ano da misericórdia é mais do que propício para revisar o papel da Igreja nesta história e para viver esta pastoral como um gesto de reparação histórica”.

Segundo o bispo de Reconquista, em outra parte da conversa, o Papa destacou os valores que estes povos trazem para a nossa caminhada atual como humanidade, e em relação à encíclica Laudato Si’, afirmou que “os povos originários nos ensinam com sua vida como cuidar de nossa casa comum. Como temos coisas para aprender deles!”.

 

 

Postado por Daniela Kussama