Por Mundo Sustentável | outubro 6, 2015 12:31 pm

 

Por Débora Spitzcovsky

Fonte: The Greenest Post

 

Era noite quando o empresário Fernando Barcelos, de Goiânia, foi abordado por uma mãe, com um recém-nascido nos braços, que implorava por um prato de comida. Para o homem, a situação foi além do incômodo habitual que qualquer ser humano sentiria ao passar por um episódio como esse. Ele decidiu, naquele momento, transformar sua dó em ação e mexer-se para ajudar a mudar a realidade dos inúmeros moradores em situação de rua que passam fome nas ruas da capital goiana.

Foi assim que surgiu a iniciativa Geladeira Solidária, uma geladeira pública, instalada no meio da rua, que oferece alimentos gratuitos à população.

Como? Tudo funciona na base da confiança! A geladeira fica destrancada 24 horas por dia: qualquer um pode abri-la para colocar ou retirar alimentos. As únicas regras são ter bom senso, etiquetar as comidas com data de validade e não doar bebidas alcoólicas, nem carnes cruas.

A geladeira foi instalada em setembro, mas já está fazendo sucesso na cidade. “A noite é muito difícil na rua. Os restaurantes que nos ajudam já estão fechados e as pessoas têm receio de se aproximar da gente”, conta, em entrevista ao G1Washington Gomes, morador em situação de rua que já usou algumas vezes a geladeira pública. Entre os alimentos que conseguiu estão frutas, pizza e até uma marmita deixada por alguém disposto a ajudar.

Segundo os administradores da geladeira, embora o acesso seja liberado, percebe-se que só quem realmente está em situação de necessidade abre o eletrodoméstico para pegar algo para comer. Num país onde toneladas de alimentos são desperdiçados todos os anos (enquanto muitas pessoas, infelizmente, ainda passam fome), trata-se de uma iniciativa e tanto para ser replicada em outras regiões do Brasil, não?

 

 

Postado por Daniela Kussama