Por Mundo Sustentável | janeiro 16, 2014 3:50 pm

 

Fonte: Repórter Brasil

 

Nos infográficos abaixo, é possível visualizar a concentração no mercado de transgênicos, o histórico desde que o primeiro cultivo foi liberado, o uso de veneno por cultura, e, por fim, onde estão as principais lavouras. Clique nos links para ler mais a respeito de cada tema.

Concentração
Com exceção da nacional Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), todos os cultivos liberados até a publicação deste especial, em novembro de 2013, utilizam tecnologia transgênica e defensivos agrícolas produzidos pelas seis grandes empresas transnacionais que também lideram o setor de transgenia em nível global: Monsanto (Estados Unidos), Syngenta (Suíça), Dupont (EUA), Basf (Alemanha), Bayer (Alemanha) e Dow (EUA). Confira quais são eles:

Infográfico: Transgênicos liberados no Brasil

 

Baixe os dados em uma tabela com as propriedades de cada transgênico

 

 

Histórico
Desde que a lei 10.688/2003 foi sancionada há uma década pelo então presidente Luiz Inácio Lula da Silva, os transgênicos se impuseram como uma realidade nacional e conquistaram espaço significativo no mercado, apesar do desconhecimento da maioria da população sobre seus riscos e da rejeição de diversas organizações representativas dos movimentos sociais. Confira nesta linha do tempo como os transgênicos conquistaram espaço no país:

 

 

Veneno
A expansão dos cultivos transgênicos contribuiu decisivamente para que o Brasil se tornasse, desde 2008, omaior consumidor mundial de agrotóxicos, responsável por cerca de 20% do mercado global do setor. Segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), órgão vinculado ao Ministério da Saúde e responsável pela liberação do uso comercial de agrotóxicos, na safra 2010/2011 o consumo somado de herbicidas, inseticidas e fungicidas, entre outros, atingiu 936 mil toneladas e movimentou 8,5 bilhões de dólares no país. Nos últimos dez anos, revela a Anvisa, o mercado brasileiro de agrotóxicos cresceu 190%, ritmo muito mais acentuado do que o registrado pelo mercado mundial (93%) no mesmo período. Não à toa, as lavouras de soja, milho e algodão, principais apostas das grandes empresas de transgenia, lideram o consumo de agrotóxicos no Brasil, conforme é possível visualizar no gráfico abaixo:  

 

 

Mercado internacional
A aceitação aos transgênicos divide mercado internacional e há forte resistência em algumas partes do planeta, como na Europa. Hoje, os Estados Unidos, segundo relatório publicado este ano pelo Serviço Internacional para a Aquisição de Aplicações Biotecnológicas (ISAAA, na sigla em inglês), são os que mais utilizam organismos modificados, com um total de 69,5 milhões de hectares com transgênicos plantados em 2012. Segundo colocado, com 36,6 milhões de hectares plantados, o Brasil já se posiciona bem à frente dos outros principais produtores mundiais de transgênicos: Argentina (23,9 milhões de hectares), Canadá (11,6 milhões), Índia (10,8 milhões) e China (4 milhões). Veja abaixo onde acontecem os cultivos (clique na imagem para ver detalhes):

trans

 

grafico_transgenicos

 

Postado por Daniela Kussama